• Thyrso Guilarducci

Pesados & Seguros

1 - Caçambas Basculantes



Olá Pessoal


Nesta primeira publicação da nova série PESADOS & SEGUROS começaremos os comentários sobre um tipo entre os veículos pesados que oferecem maiores riscos nas operações.


As caçambas basculantes!



O que significa exatamente um caminhão basculante?


Não, não é uma brincadeira. A pergunta faz sentido para que fique bem claro à todas as pessoas, principalmente leigos, motoristas de veículos de menor porte e como reforço aos profissionais que já estão acostumados com esse tipo de veículo.


Para começar, o veículo em si nada difere de um caminhão comum. Ambos possuem uma cabine e uma carroçaria onde transportam mercadorias, detritos etc. A diferença está na forma operacional e da carroçaria.


O caminhão convencional precisa ser carregado e descarregado manualmente ou com empilhadeiras. Já o basculante, possui mecanismos que elevam a carroçaria na parte frontal e ao destravar a porta traseira a carga é escorregada para fora.


As caçambas basculantes são construídas em aço ou alumínio e são totalmente vedadas, impossibilitando a saída de areia, terra ou entulho, exceto por alguma fresta na porta traseira. Os caminhões convencionais normalmente possuem carroçarias de madeira ou alumínio com tampas laterais e traseiras.


Agilidade na operação


Sem dúvida a descarga de um caminhão basculante pode ser feita em 3 minutos na média. Basta elevar a caçamba pelo sistema hidráulico que automaticamente a carga desce (escorrega) para fora pelo efeito da gravidade. Simples assim, porém sempre existe um fator de risco nessa operação que nunca pode ser desprezado.


O tombamento do caminhão ou carreta basculante


Porque tombam tão facilmente esses tipos de caminhões?

A resposta está no CG Centro de Gravidade.

Observe a figura abaixo: a carga bem carregada, igualmente distribuída pela caçamba fica no espaço "extensão da carga" quando a caçamba está totalmente na horizontal. Veja o comprimento e compare com o entre eixos. Estão próximos.


Quando a caçamba se eleva e a tampa não abre, a extensão da carga se desloca para trás e distancia-se do entre eixos. Praticamente todo o peso será exercido sobre o eixo traseiro e a frente ficará muito leve podendo até erguer-se do piso (empinamento).


Nesses casos há riscos do veículo inclinar-se ao ter a frente erguida e tombar.


Ainda observando a alteração, como o peso ficou todo no eixo da tração (traseiro), se o terreno não for bem firme afundará e isso poderá facilmente tombar o caminhão.


Observe o deslocamento do CG pelo símbolo como se elevou da base. Quanto mais se eleva o CG mais instável fica o veículo.



Por essa razão é importante estar certo de que a tampa está destravada antes de iniciar o basculamento.


CUIDADOS DIVERSOS NAS OPERAÇÕES


Existem diversas recomendações para as operações desses tipos de veículos.

Vamos resumir:


1 - Quando a carga é aderente (grudada na caçamba) demora mais para escoar. É o caso de areia úmida, pedras enroscadas, asfalto quente, terra prensada etc. Se a carga não começar a deslizar o peso se eleva e pode tombar o veículo se estiver desnivelado. Outra possibilidade é a descarga violenta de uma só vez. Isso pode provocar algum acidente ou danos no sistema hidráulico, chassis e estruturas.


2 - Obedecer aos limites de peso conforme a legislação. Normalmente os embarcadores de materiais constantes possuem uma tabela de conversão. Por exemplo, a areia úmida pode variar de 1.700 a 2.300 kg por m³. Não abusar do limite legal e técnico. Como a maioria das viagens são locais e não sujeitas às aferições em balanças, muitos motoristas permitem a sobrecarga que aumenta muito o peso e também os riscos de queda do material pelo percurso, mesmo com a lona de proteção.


O excesso de peso é ilegal, danifica o pavimento, reduz drasticamente a vida útil do veículo, principalmente pneus, suspensão, embreagem, freios, direção, cabine etc.


Na hipótese de uma freada brusca o veículo não responderá e poderá colidir com outro veículo, obstáculo ou causar um atropelamento. O valor ganho pelo excesso de carga será bem menor que todos esses problemas. Não vale a pena e repito: é ilegal!


3 - Ao carregar, exigir que a carga seja uniformemente espalhada de modo a evitar peso maior de um dos lados ou pelo sentido longitudinal. Um veículo desequilibrado tende a tombar mais facilmente. Se o peso for maior na frente poderá danificar o eixo da direção, pneus etc. Se o peso for maior na traseira, a direção ficará muito leve e numa pista molhada não obedecer a trajetória.


4 - Operação de Descarga. Essa é a parte mais perigosa das operações. Exige extrema atenção e cuidados pelo motorista.


Como regra básica, atenção com os procedimentos:


  • Desça da cabine e avalie o cenário. Olhe tudo ao redor, o piso, fiação, árvores, obstáculos que possam ser atingidos pela elevação da caçamba, pessoas ou veículos muito próximos, etc.

  • Certifique-se de que o terreno é firme e nivelado. Não bascular em locais inclinados, principalmente pelos lado. O tombamento é quase certo.

  • Se tiver alarme sonoro acione, normalmente conjugado com a marcha ré.

  • Ligue o pisca-alerta

  • Destrave a tampa traseira. Isso é fundamental

  • Observe se há ventania. Ventos fortes podem causar tombamento do veículo. Não bascular nessa condição.

  • Não dar trancos no veículo para a descida dos materiais. Isso pode ocasionar danos no sistema de elevação e na transmissão do veículo.

  • Todo o cuidado é pouco. Agindo com esses detalhes dificilmente ocorrerá um acidente, mas ainda assim, se ocorrer o início de um tombamento devido afundamento do piso, estouro de pneu, seja qual for o motivo, o veículo começará a inclinar e tombará. NÃO TENTAR SAIR CORRENDO DO VEÍCULO!

  • Por mais "ninja" que o motorista acha que seja, não será mais rápido que a queda do caminhão e poderá ficar por baixo e ser tragicamente atingido.


Observe a sequência de um tombamento:



A areia molhada grudou nas laterais e base resistindo à escorregar.


A elevação continuou e a descida da areia foi muito pouca.

Devido ao peso excessivo no topo, a carreta inclina e começa a tombar.


A queda foi inevitável.

Nesse caso não houve feridos, porém grandes danos materiais.


Crédito das imagens: Mateus Maroni - https://www.youtube.com/watch?v=4EtufltF_bY


5 - É fundamental ter absoluta certeza de que o sistema de elevação foi desativado e neutralizado. Normalmente o sistema hidráulico de elevação da caçamba possui uma alavanca que é a tomada de força e outra que aciona a elevação. Após a descarga, com a caçamba já abaixada, conferir se de fato a tomada de força foi neutralizada. Assim a caçamba não se elevará durante o percurso.


Acidentes de colisão da caçamba contra viadutos, passarelas, rede de alta tensão, são de graves consequências e no Brasil e no mundo já se registraram muitos acidentes fatais nesse sentido.


Na imagem abaixo o registro de uma colisão contra uma passarela vindo a derrubá-la na Av. Brasil, Rio de Janeiro na qual ocasionou ferimentos ao motorista e menos mal, não houve vítimas fatais nesse episódio.


Crédito: Exame


Conclusão


Operar um veículo basculante exige além dos cuidados básicos de qualquer veículo pesado, as condições adicionais pela natureza dos riscos associados. Como em qualquer atividade de riscos, com os cuidados devidos, dificilmente ocorrerá um acidente.


Agradeço pela gentil contribuição da mensagem sobre a Segurança no Trânsito enviada pela Denise Nascimento, podóloga conceituada na cidade de São Paulo, SP.



Muito obrigado pela leitura


Thyrso Guilarducci

11 views0 comments

Recent Posts

See All