• Thyrso Guilarducci

O temperamento no modo de ser (Parte IV)

A Simplicidade




A simplicidade ajuda a descongestionar sua carga de tarefas, quer seja na vida pessoal, no trabalho e até mesmo no lazer.


Ser simples é economizar tempo e há uma estreita relação com a racionalidade e objetividade. Veja um exemplo de uma pessoa perguntando um endereço a outra:


̶ Por favor, sabe onde fica a rua das Árvores?

̶ Deixe me pensar...Essa rua deve ser lá na Vila Alegre. Eu não estou bem certo, mas deve ser lá onde tem uma placa de radar e um ponto de ônibus. Pode ser que seja porque faz tempo que não vou na Vila Alegre. Se não achar ali, deve ser na Vila das Missões, mas não estou bem certo. Olha,, melhor mesmo é perguntar lá no final desta rua que tem um ponto de táxi...


Agora veja esse diálogo:


̶ Por favor, sabe onde fica a rua das Árvores?

̶ Não conheço. Aconselho perguntar no Posto Policial que fica 100 metros à frente nesta mesma rua.


Na mesma linha dos exemplos citados, ser simples evita uma boa perda de tempo, principalmente no desempenho de suas rotinas de trabalho.


A educação financeira é um bom exemplo da simplicidade. Se eu gasto além de minhas posses, é óbvio que terei sérios problemas com as consequências. Deixei a simplicidade de lado e permiti a ambição irresponsável levar-me à grandes problemas de ordem pessoal.


Ser simples não significa fechar as portas para os bens e conquistas de seus sonhos, mas sim usar a racionalidade para não cometer atos que possam complicar sua paz e sua concentração no trabalho.


Talvez o leitor esteja pensando o que há de correlação entre a simplicidade e a Segurança no Trânsito, objetivo central deste blog? Ocorre que cada fator em nossas vidas que desencadeie preocupações e aborrecimentos serve como carga adicional de tensões as quais roubam parte de nossa concentração em tarefas de riscos e de perfis de responsabilidade elevados.


Muitas pessoas não administram a simplicidade em sua rotina de vida e acumulam preocupações que poderiam ser resolvidas ou administradas para aliviar a mente para coisas mais prioritárias. Nas relações afetivas ocorrem muitas questões que a falta de simplicidade pode acarretar sérias consequências. Vou citar um exemplo que custou a vida de um motorista profissional, naturalmente omitindo nomes e detalhes para preservar a família e as corporações envolvidas.


Uma transportadora X tinha em sua lista de clientes uma multinacional do setor químico e despachava constantemente mercadorias desse seguimento para diversas cidades do Brasil. Um determinado dia, embarcou no Rio de Janeiro, local da empresa, uma carga completa de carreta tendo como destino a cidade de Belo Horizonte.


Tudo transcorreu dentro das rotinas operacionais normais. A carga foi coletada por um motorista de serviços locais durante o dia e à noite foi liberada para a viagem com o motorista escalado que estava de folga durante o dia para poder viajar a noite e chegar no dia seguinte ao destino.


A viagem transcorreu normalmente até um pouco mais da metade do percurso, quando o motorista perdeu o controle do veículo e colidiu contra um barranco. O impacto foi tão grande que toda a carga se espalhou pela pista causando danos ambientais e financeiros e o pior de tudo, o motorista teve morte instantânea.


Todo um envolvimento de gestão de crise foi acionado e dentre eles a investigação das causas do acidente. Não haviam indícios de pista molhada ou suja, o trânsito estava livre pela madrugada, o motorista estava de folga e não deveria estar fatigado, o veículo passou recentemente por manutenção periódica, enfim, um mistério a ser periciado.


Dentro do check-list do levantamento das possíveis causas, foi questionado se de fato o motorista descansou durante o dia, pois os indícios apontavam sonolência ao volante. Uma Assistente Social foi até à família do falecido e cuidadosamente obteve informações sólidas de que na parte da tarde daquele dia o motorista e sua esposa foram fazer compras e passear num shopping center. Chegando em casa não sentiu vontade de dormir porque logo mais deveria entrar em serviço.


Assim, caracterizou-se que a falta de repouso provocou a fadiga e sonolência na quarta hora de volante.


Seria muito MAIS SIMPLES se o motorista explicasse a sua família que tinha compromisso de alta responsabilidade e deveria dormir as horas necessárias e em ambiente propício. Envolvido por querer prestar assistência à esposa e filhos, declinou ao necessário repouso.



Imagem ilustrativa de acidente - Fonte Pixabay


Pode parecer desconexo, mas é assim que na aviação são investigadas as causas raiz de um incidente ou acidente aéreo. Inúmeras questões concatenadas são levantadas até que se chegue a uma causa consecutiva e a partir disso se adotem medidas corretivas e preventivas que alcançam os fabricantes e empresas no mundo todo através de diretivas e boletins técnicos.


Nesse episódio lamentável, em especial, a empresa multinacional exigiu um workshop em inglês para seus diretores que vieram do exterior e avaliar as medidas preventivas que seriam então adotadas aqui e levadas para a Índia, Rússia, Estados Unidos, Colômbia, entre outros países.


Afinal de quem foi a culpa? Isso remeteu ao aspecto organizacional da empresa. Como estar convicto de que um motorista de fato repousou antes de uma viagem? Foram antão adotadas medidas simples de conscientização aos demais envolvidos e uma fiscalização aleatória do efetivo repouso com visita surpresa de assistentes sociais nas residências dos motoristas.


E então? Concorda que a simplicidade é importante?


Reflita!

11 views0 comments

Recent Posts

See All