• Thyrso Guilarducci

Mestres em Comando

8 - Perfil de um motorista profissional




O Direito de Dirigir é uma deliberação do Estado para um cidadão que se submeta às prévias avaliações das competências físicas, psicológicas, intelectuais e habilidades motoras. Além disso satisfaça aos requisitos legais como a imputação penal, ser alfabetizado, formalização documental (RG ou Identidade equivalente) e prova de moradia.


Esses predicados são comuns a qualquer candidato a condutor de veículos, sejam motocicletas ou automóveis. Talvez seja ideal esclarecer que o CTB Código Brasileiro de Trânsito possui em seu teor o Capítulo XIV "Da Habilitação" o qual trata de todo fluxo necessário para se habilitar como condutor.


Pontos relevantes


As Habilitações são classificadas por categorias que seguem a seguinte gradação.


CATEGORIA A


Condutor de veículo motorizado de duas ou três rodas, com ou sem carro lateral. São as motocicletas e motonetas ou triciclos com ou sem o side car. (aquele "barquinho" preso na lateral da moto). Qualquer motocicleta a partir de 50 cc*



(*) CATEGORIA ACC


As motos com motorização abaixo de 50 cc necessitam de ACC Autorização para Conduzir Ciclomotores. As chamadas cinquentinhas já geraram muitas polêmicas devido a desentendimentos se seriam ou não equivalentes a uma motocicleta ou motoneta maior quanto à habilitação. Com a publicação da Resolução 572/2015 do CONTRAN Conselho Nacional de Trânsito, finalmente foi regulamentado o procedimento da habilitação com menores cargas de horas de treinamentos práticos e teóricos em comparação às exigidas para motocicletas e veículos maiores. Para quem já possui a categoria A automaticamente é habilitado para os ciclomotores e não há necessidade de nenhuma ação adicional.


CATEGORIA B


Autoriza conduzir veículo motorizado, não abrangido pela categoria A, cujo peso bruto total não exceda a 3.500 kg e cuja lotação não exceda a oito lugares, excluído o do motorista. Por exemplo automóveis, camionetas e pequenos caminhões.


CATEGORIA C


Autoriza conduzir veículo motorizado utilizado em transporte de carga, cujo peso bruto total exceda a três mil e quinhentos quilogramas. Exemplo, caminhões de grande porte, os conhecidos "trucks" ou "tocos". Essa categoria exige que o motorista tenha pelo menos um ano na categoria B e ainda não ter cometido nenhuma infração grave ou gravíssima, ou ser reincidente em infrações médias, durante os últimos doze meses.


CATEGORIA D


Autoriza conduzir veículo motorizado utilizado no transporte de passageiros, cuja lotação exceda a oito lugares, excluído o do motorista. Exemplos: ônibus urbano, rodoviário ou turismo.


CATEGORIA E


Autoriza conduzir combinação de veículos em que a unidade tratora se enquadre nas categorias B, C ou D e cuja unidade acoplada, reboque, semirreboque, trailer ou articulada tenha 6.000 kg ou mais de peso bruto total, ou cuja lotação exceda a 8 lugares. É o exemplo das carretas de diversos tipos, incluindo os bi trens e semelhantes ou ônibus articulados.


Importante


Para habilitar-se nas categorias D e E ou para conduzir veículo de transporte coletivo de passageiros, de escolares, de emergência ou de produto perigoso, o candidato deverá preencher os seguintes requisitos:


I - Ser maior de 21 anos.


II - Estar habilitado no mínimo há dois anos na categoria B, ou no mínimo há um ano na categoria C, quando pretender habilitar-se na categoria D.

No mínimo há um ano na categoria C, quando pretender habilitar-se na categoria E.


III - Não ter cometido mais de uma infração gravíssima nos últimos 12 (doze) meses.


IV - ser aprovado em curso especializado e em curso de treinamento de prática veicular em situação de risco, nos termos da normatização do CONTRAN.


Aperfeiçoamentos


Até aqui comentamos sobre o mínimo necessário para uma habilitação como motorista de acordo com o veículo que se pretenda conduzir. A CNH em mãos é um passaporte para o início de uma carreira. A partir dessa conquista, para ser um motorista profissional é necessário que a pessoa construa um histórico de condutas sem cometimento de infrações de trânsito, principalmente as graves e gravíssimas.


Todos os cursos complementares, como por exemplo de transporte coletivo de passageiros, de ambulâncias, veículos escolares, além de obrigatórios, são muito ricos em informações adicionais sobre a Segurança no Trânsito. Eu poderia dizer que são uma pós graduação.


Além dos cursos obrigatórios conforme a modalidade do veículo ou atividade, existem cursos livres para aperfeiçoamento das habilidades. Direção Preventiva, Primeiros Socorros, Direção Evasiva, Manutenção Básica, entre outros, aumentam os conhecimentos técnicos e legais para uma conduta mais aprimorada. Muitas empresas frotistas promovem esses cursos e estimulam a atuação responsável com o controle de incidentes e acidentes como metas de zero registro de ocorrências.




Vejamos algumas considerações adicionais


Reunindo mais três perfis no comportamento, um motorista responde melhor aos desafios do trânsito, dos compromissos profissionais, da gestão do tempo e pressão social.

Vejamos.




Observem que na tela acima não foi mencionada a palavra motorista ou condutor. Exatamente, porque é uma qualificação global. Pode ser um cientista ou um auxiliar da limpeza que as recomendações são semelhantes, respeitando-se as especificidades de cada função.


Isto posto, aí sim entram os detalhes da função. Veja na imagem abaixo algumas observações importantes.




COMPROMETIMENTO


É impraticável o desempenho de alguma tarefa de responsabilidade sem haver o necessário comprometimento. De acordo com as escolas norte americanas de treinamento para motoristas, oito características ajudam muito a aferir o comprometimento da função.


Citando um exemplo de equipe esportiva que treina para um campeonato olímpico, se um integrante não se comprometer pode colocar a perder toda uma seleção. Ninguém no grupo atua sem uma causa. No trânsito não é diferente. O comportamento adequado de um motorista deve se ajustar à demanda do trânsito, suas regras, seus limites, seu tempo. Acrescente a isso tudo as relações de compromisso profissional.


Mesmo quem dirige seu próprio veículo, possui compromisso de tempo e não pode desleixar sob pena de ter seu contrato quebrado. Vejamos as oito observações:




Adequando cada um dos oito elementos ao dia a dia das atividades como motorista profissional com certeza a segurança no trânsito será muito maior, mais respeitada e reconhecida.


ADVERSIDADES


Ninguém está isento de ser submetido às pressões sociais. Podem ser devido ao trânsito caótico, às cobranças às vezes injustas, familiares, das questões financeiras de ordem pessoal, doenças, litígios, veículo não desempenhando, enfim inúmeros fatores que colocam a fúria em evidência. Nessas horas devem prevalecer todos os esforços para contenção da ira, da raiva, da agressividade. Sim, porque tenha certeza de que isso apenas aumentará o quadro de complicações e não raro trazer drásticas consequências.




A melhor forma de enfrentar uma agressão é NÃO ENFRENTAR. Pode ser muito fácil aconselhar. Se eu estivesse neste momento digitando esse texto sob uma pressão infernal e descontrolada, não teria lucidez para compor cada palavra conforme a ordenação dos pensamentos.


Assim funciona a mente na atividade de dirigir um veículo. O problema que aqui no teclado no máximo poderia escrever alguma besteira ou algo sem noção, mas no trânsito não se admite falhas. Vidas podem ser perdidas em um segundo por um minuto de raiva ao volante e isso pode resultar em 30 (anos de prisão) se for condenado por homicídio doloso. Soma-se a isso a carga emocional negativa para o resto da vida!


MEDIDAS PREVENTIVAS DE ORDEM PESSOAL


Ainda com referência às boas escolas dos Estados Unidos, existem 10 assuntos que devem estar bem resolvidos ou pelo menos sob cuidados de forma que eles não causem ansiedade ou provoquem a falta de foco. Veja o quadro abaixo e identifique se algum ou alguns dos itens estão lhe tirando o sono e a concentração ao dirigir.




No próximo post comentarei sobre alguns comportamentos nada seguros para as rotinas da direção de um veículo.


Ser um motorista profissional realmente exige muito, requer esforços que nem todos são capazes de desempenhar. Movimentar um caminhão é relativamente fácil até chegar no portão. Daí para fora o cenário muda para um mundo de desafios e intensas pressões.


Até o próximo post e muito obrigado pela leitura.


Thyrso Guilarducci










MAIO: MÊS DE REFERÊNCIA DA SEGURANÇA NO TRÂNSITO

6 views0 comments

Recent Posts

See All