• Thyrso Guilarducci

Mestres em Comando

22 - Ultrapassagens e Colisões Frontais



Na 22ª publicação da série Mestres em Comando iniciaremos com o tema das ultrapassagens. Uma abordagem a uma das mais arriscadas manobras para quem dirige, especialmente em pistas simples e conduzindo veículos pesados.


Sempre é bom relembrar que o título desta série é baseada na competência dos motoristas que são mestres em seus trabalhos há muitos anos e ainda assim possuem o entendimento de que revisar os conceitos e experiências ao longo da vida aumentam a bagagem do saber, das atitudes mais preventivas e pela preservação das vidas com as atitudes mais seguras à cada dia ao volante de qualquer veículo.


As ultrapassagens



Propositadamente repeti essa imagem que foi a última no post anterior da série dada à sua importância. Um cenário de absurda imprudência. A foto foi feita de dentro do automóvel que teve a ameaça de colisão frontal com a carreta com grade preta.


Talvez os leitores estranhem as posições mas isso foi em Londres no Reino Unido onde a mão de direção é pela esquerda.


Dito isso, observem o grau da imprudência: pista escorregadia devido chuva, faixa dupla contínua amarela (indicando duplo sentido), ainda assim o motorista da carreta ultrapassa a outra carreta e força o motorista do automóvel a uma freada brusca em pista molhada. Detalhe: não há espaço para evasão pela esquerda devido as defensas instaladas no bordo da pista.


Havia ali tudo para resultar numa tragédia! Felizmente o acidente não ocorreu devido o automóvel ter parado e as carretas passaram muito próximas entre si e do automóvel. Eu não sei no que resultou esse incidente, se o motorista foi punido ou não. O que é relevante é refletirmos que uma atitude dessas pode significar a perda de vidas numa colisão frontal.


Se fosse no Brasil, não ocorrendo o acidente, nada poderia ser feito como punição visto que o Agente de Trânsito não pode autuar ninguém sem que tenha presenciado a infração. Denúncias mesmo com fotografias e filmagens não podem substituir a presença física do agente, devidamente em serviço, fardado e com viatura caracterizada.



Uma colisão frontal possui a somatória das velocidades como resultante do impacto em ambos os veículos. Se dois caminhões colidem a 90 km/h, significa que cada um receberá um impacto frontal de 180 km/h.


Essa energia toda acumulada pelo peso dos veículos e das velocidades possui uma deformação explosiva de alta carga cujos estudos científicos apontam ser um dos piores tipos de colisões e que causam óbitos e feridos graves.



O que a ironia acima expressa é que os veículos possuem uma relação de energia e seu peso total, também chamada de relação massa x potência.


Os veículos comerciais em geral possuem uma taxa dentro dessa relação que entrega uma potência disponível para tracionar além do próprio peso, a carga ou passageiros embarcados, vencendo aclives e condições severas de tráfego.


Quanto maior a potência e torque e menor o peso bruto do conjunto maiores serão as respostas em tempo de deslocamento inicial assim como para vencer aclives e velocidade final maior. Por essa razão o mercado tem alternado a construção de veículos mais robustos estruturalmente porém com o uso de materiais compostos que pesam menos e possibilita maior carga paga.


Mesmo os veículos mais potentes, ao carregarem maior volume de peso, possuem efeitos de menores velocidades no desempenho para uma ultrapassagem ou subidas de serras, aclives etc. Isso exigirá muito cuidado na avaliação no caso de uma ultrapassagem para evitar uma situação de risco com ultrapassagens indevidas.


Nas imagens abaixo alguns implementos de alumínio em substituição à madeira e ferragens que tem maior peso.


Crédito: Alcooa

Crédito: NOMA Implementos


AS ULTRAPASSAGENS COMENTADAS POR VETERANOS NO VOLANTE





Convém entender que uma ultrapassagem exige uma visão ampla do cenário do tráfego. Muitos acidentes ocorrem por conta da imaginação que o veículo quem vem em sentido contrário está muito longe. A distância em linha reta confunde a percepção da velocidade contrária. Um veículo a 100 km/h em poucos segundos estará diante de seu veículo.




Essas recomendações parecem muito óbvias! Mas não é o que acontece normalmente. Muitos motoristas se acham dotados de superpoderes, estão em superioridade intelectual e física ou são os chamados "sem noção" que não avaliam e respeitam esses riscos elementares.


Nos cursos de especializações (ônibus, MOPP. veículos escolares etc) são destacados pela prepotência e tentam subestimar as aulas dos instrutores que se dedicaram meses nos aperfeiçoamentos.


Vale lembrar que uma ultrapassagem próximo a escolas, pode ser interpretada por um Agente de Trânsito Policial Militar como uma direção incompatível com o local. Isso é um crime de trânsito! Veja o que diz o CTB:



Art. 311. Trafegar em velocidade incompatível com a segurança nas proximidades de escolas, hospitais, estações de embarque e desembarque de passageiros, logradouros estreitos, ou onde haja grande movimentação ou concentração de pessoas, gerando perigo de dano:

Penas - detenção, de seis meses a um ano, ou multa.


COLISÕES FRONTAIS


Já comentei em diversas oportunidades ao longo das publicações que uma colisão frontal é o mais grave tipo de acidente e facilmente pode ocasionar feridos graves e mortes.


Isso se explica pela soma das velocidades opostas. Um veículo a 100 km/h colidindo com outro a 90 km/h resulta num impacto correspondente a uma energia de 190 km/h. Ao colocar esses números numa fórmula matemática de absorção de choques, verá que o resultado é suficiente para desintegrar ambos os veículos e com eles os ocupantes que fatalmente serão mortos pelos impactos, salvo se um dos veículos for pesado e o outro leve. Mesmo assim muitos motoristas e passageiros de veículos pesados sofrem sérios ferimentos e até mesmo morte ao colidirem com veículos menores.


Os chamados pontos fracos de resistência podem não reter uma camionete de 2000 kg arremessada para dentro da cabine de um conjunto cavalo mecânico com carreta.




Nas condições acima faltou ainda a Direção Imprudente ao efetuar uma ultrapassagem sem a menor condição de segurança!


Vou encerrar esse post nesta parte para retomada em seguida no próximo post. Esse assunto exige muita reflexão e por isso entendo ser mais apropriado dar um tempo.


Muito grato pela leitura


Thyrso Guilarducci


Quero aproveitar para agradecer a Alenice Jansen, nutricionista em Curitiba, Paraná, que gentilmente enviou uma frase sobre o MAIO AMARELO e abordando as questões da Segurança no Trânsito segundo a sua ótica. A imagem está logo abaixo!






16 views0 comments

Recent Posts

See All