• Thyrso Guilarducci

Maio Amarelo

Updated: May 2

O Mês referência pela luta incessante pelas vidas!



Neste mês uma onda muito positiva espalhará o reflexo amarelo nos horizontes do Brasil e em muitas outras localidades pelo mundo nos diversos continentes.


Essa cor que segundo a psicologia das cores* leva-nos a entender que o amarelo, por ser uma cor quente, também transmite a sensação de dinamismo e estímulo. É considerada a cor do otimismo e da energia, segundo a psicologia das cores. Tem ainda a capacidade de estimular a concentração e o intelecto das pessoas.

Outra sensação associada a esta cor é o de conforto e felicidade. Entre alguns dos sentimentos que o amarelo também está relacionado, destaque para elementos positivos como:


sabedoria; alegria; otimismo; idealismo.


Há ainda alguns outros sentimentos nada bons, mas vou ignorá-los porque o que importa nesse momento é o positivismo.


(*) (https://www.significados.com.br/psicologia-das-cores/)


Feita essa exaltação à cor amarela, agora quero associá-la ao Evento do Maio Amarelo, uma instituição que já possui quase uma década e traz consigo um apelo contagiante no sentido da preservação das vidas e prevenção aos sinistros de trânsito.


A história do Maio Amarelo nasceu a partir de um insight pelo Presidente do ONSV Observatório Nacional de Segurança Viária – José Aurelio Ramalho, quando procedente de Brasília e chegando em Campinas num voo cujo avião era cor de rosa e toda a tripulação vestida de rosa, fazia um enorme apelo à prevenção contra o câncer de mama.


Empolgado com esse movimento, o Ramalho questionou-se: por que não criar um chamamento nessa linha de ações para redução das mortes e feridos no trânsito?

Ele vinha com a ideia bem aquecida pela criação na ONU da década de Ação para Segurança no Trânsito em 2011 assinada em 11/05/2011, daí associar o mês com a cor, pois o amarelo ainda não havia referências e é uma cor de chamamento muito usada na mobilidade, em especial na sinalização de trânsito.


NASCIA O MAIO AMARELO


Oficialmente, o Movimento Maio Amarelo nasce com uma só proposta:

chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.


O clamor fez muito sentido e perdura firmemente até o momento, pois a morte de um milhão e trezentas mil pessoas ao ano devido sinistros de trânsito no mundo é um dado alarmante. Somam-se ainda 50 milhões de feridos graves e sequelados nessa conta.


A partir dessa constatação, o ONSV iniciou um árduo trabalho de estudos, pesquisas e muita dedicação pela equipe comprometida em difundir a sensibilização da sociedade para uma drástica redução nessas fatalidades.

Progressivamente o Maio Amarelo tomou forma e espalhou-se pelo país e atualmente nenhuma das 27 Unidades da Federação ficou de fora. A repercussão foi tamanha que ultrapassou nossas fronteiras e foi adotado em cerca de 25 países pelo mundo em todos os continentes.



O Programa Maio Amarelo nasceu para ser livre, para levar uma mensagem de vida ao mundo na meta de preservar a humanidade. Em meio à essa crescente manifestação, diversas entidades criaram mecanismos pela segurança no trânsito, pelas administrações públicas e a iniciativa privada, como é o caso do ONSV que fundado em 2009 obteve seu alicerce nessa causa, a preservação de muitas vidas.


O Maio Amarelo não se limitou ao movimento, desfiles e colocação de bandeiras, banners e faixas espalhados por diversos locais. Com a estrutura muito bem dimensionada no ONSV, foram criadas diversas frentes de atuação.


Recentemente o Projeto "Rodovias que Perdoam", fruto de uma exaustiva pesquisa e estudos pela UFPR e em conjunto com o ONSV levaram ao Ministério da Infraestrutura um trabalho conclusivo que se transformou em Lei e doravante, nenhuma rodovia será criada ou reformada sem que sejam adotados os dispositivos e ações de engenharia em conformidade com o modelo das Rodovias que perdoam.

O mote desse Projeto foi que que as pessoas cometem equívocos, mas não precisam pagar com a vida pelos erros.


Visite o portal do ONSV ( onsv.org.br ) e vejam a infinidade de ações que fluem pela diretiva de uma segurança crescente através de uma equipe multidisciplinar incansável e altamente capacitada que juntos entregam projetos e ações que se tornam Leis e Atitudes.


Mas e depois de Maio ?


Como ocorre numa festa, todo mundo vai embora, entram então os profissionais da limpeza e colocam a casa em ordem. E no Maio Amarelo?


Se a festa não prosseguir, ou melhor, a reflexão e mudanças de comportamentos de cada brasileiro, após a festa não entrarão a turma da limpeza, mas socorristas, bombeiros, policiais, médicos, UTIs, hospitais lotados, prejuízos imensos e lares afetados com perdas irreparáveis de mortes de familiares.


É necessário que o fundamento do Maio Amarelo se perpetue, cresça e contagie na redução das mortes e feridos. Esse é o alvo; que o amarelo impere nas mentes de cada motorista, motociclista, pedestre, políticos e toda a sociedade unidos pela vida!


O Governo Federal lançou o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (PNATRANS) constituído de 6 Pilares fundamentais para uma imensa atividade rigorosamente em todos os Estados, cidades e organismos do SNT Sistema Nacional de Trânsito. Isso é muito importante, mas não podemos nos acomodar e esperar que a Administração Pública resolva todos os problemas da mobilidade urbana em nosso país, pois toda a sociedade atua no trânsito.


Como pedestre, conduzindo veículos, gerindo repartições, escolas, empresas, mesmo passeando ou aposentado, cada um de nós deve transformar suas atitudes para um posicionamento radicalmente defensivo contra os sinistros de trânsito.


Repense as condutas, o comportamento, a agressividade e atitudes de infrações e até dos crimes de trânsito. É a hora e o momento de realmente não aceitarmos nenhuma morte no trânsito, porque nós podemos, porque...


JUNTOS SALVAMOS VIDAS!




23 views0 comments

Recent Posts

See All