• Thyrso Guilarducci

Calço nas Rodas

Uma providência extremamente simples que evita graves incidentes e sinistros

Imagem crédito: Direct Industry https://www.directindustry.com/pt/prod/notrax-justrite-safety-group/product-23635-1813267.html


Quem já teve a curiosidade de observar as rotinas durante a chegada e partida de uma aeronave comercial nos aeroportos já deve ter visto que uma das primeiras coisas que é providenciada é a colocação dos calços nas rodas da aeronave.

Seguindo uma sequência de ações de segurança, tão logo a aeronave pare totalmente e os motores e as luzes vermelhas rotativas ou em flash vermelho são desligados, a primeira coisa que a equipe de manutenção e de serviços fazem na rampa é colocar os calços.


As aeronaves possuem um eficiente freio de estacionamento, porém as medidas redundantes de segurança exigem que se coloquem os calços para evitar algum deslocamento acidental. A aviação é uma área que pode espelhar muitos bons exemplos para aplicação prática no transporte rodoviário. Os calços de rodas é um deles e excelente recurso para evitar-se algum deslocamento acidental do veículo.


Imagem crédito: Wikimedia Commons


Recentemente um semirreboque que não estava calçado desprendeu-se ou não engatou no cavalo mecânico numa rua em aclive. Resultado disso foi que estando sem freios aplicados pela falta de ar no reservatório, o semirreboque moveu-se ganhando velocidade e colidiu contra a frente de uma outra carreta que estava estacionada cerca de 50 metros atrás.


Veja a a cena postada pelo Jornal O Caminhoneiro:


https://www.youtube.com/watch?v=EYw_kXiy-aI


Não houve vítimas pessoais, porém os danos na carreta atingida foram muito elevados.


Se a carreta que estava em operação de engate ou desengate estivesse devidamente calçada, com certeza não se moveria e nada disso ocorreria.

Muito provavelmente o motorista é um veterano, habilidoso, porém descuidou-se de uma tarefa preventiva muito elementar. A autoconfiança é outra situação que pode levar a um sinistro de trânsito.


Ao proceder o acoplamento de engate e desengate, o motorista deve seguir um rito como um checklist para verificar se os calços estão posicionados, se o pino rei foi devidamente travado na 5ª roda, as mangueiras conectadas, a tomada elétrica e antes de sair, conferir se o ar está suficiente para atuar na operação.


Ao sair, aplicar o freio só do semirreboque e cuidadosamente experimentar se o cavalo está realmente atrelado com o semirreboque. Caso o engate tenha sido falho, o cavalo avançará à frente sem a carreta. Parar imediatamente e retornar para novo acoplamento até que de fato engate com segurança.


As operações de engate e desengate preferencialmente devem ser feitas em terreno plano com os veículos alinhados. Isso facilita a operação e é mais seguro o travamento. É importante que uma pessoa acompanhe e ajude na manobra.


O USO DOS CALÇOS NOS ESTADOS UNIDOS


Imagem de um sinistro pela falta de calços em operação nos Estados Unidos - Crédito Loading Dock, Inc


A maioria das empresas logísticas nos Estados Unidos têm por regra que as carretas encostem nas docas e obrigatoriamente coloquem os calços nas rodas. Algumas empresas ainda mais rigorosas exigem até mesmo o desengate do cavalo para evitar que ocorra algum mal-entendido e o motorista remova a carreta da doca no momento da operação de carga e descarga.


É muito comum naquele país que os eixos se movimentem totalmente para a traseira e assim permitir a entrada de empilhadeiras dentro do semirreboque para embarcar ou desembarcar os pallets e para tanto, os calços são fundamentais.


Agradeço a colega Jackeline Santos que sugeriu o tema, pois atuando como Especialista em Gestão, Legislação e Direito de Trânsito entendeu haver uma conexão preventiva ao assistir ao vídeo.


Um forte abraço e obrigado


Thyrso Guilarducci

42 views1 comment

Recent Posts

See All